segunda-feira, 23 de maio de 2011

Trabalhadores Escravos do Século XXI //Qualidade em Serviços e Produtos.

Antes de ler este artigo assista ao vídeo abaixo:

Há algum tempo atrás recebi um e-mail que iniciava com lindas vitrines de calçados e terminava mostrando condições subumanas de trabalho em fábricas de calçados na Índia. E no Brasil não é diferente. Hoje quando adquirimos produtos ou serviços não imaginamos como são tratados os trabalhadores que se desgastaram para que tivéssemos acesso a estes. Eu mesmo aos treze anos de idade comecei a trabalhar em uma cerâmica em que recebia uma miséria em quanto via o meu patrão ostentar um bom patamar de vida, e aos quatorze anos comecei a trabalhar em uma tecelagem onde a história não foi diferente.

Ao longo dos anos tento imaginar como atingir qualidade total no serviço prestado ou em produtos que são disponibilizados aos clientes. E em pleno século XXI falam-se muito em qualidade total quando se diz respeito a produtos ou serviços vendidos e pouco na qualidade de vida do trabalhador que prestará ou fabricará este produto ou serviço.

Quando uma pessoa contrata um serviço ou adquire um produto ela espera que este atenda a sua necessidade.

Eu não posso vender ao meu cliente um tecido cheio de ralheiras e mal tingido. As roupas, cortinas ou demais produtos que meu cliente irá fabricar ficarão feios, com má qualidade, e automaticamente ele não conseguirá vende-los.

Quando falamos em Prestação de Serviços de Recursos Humanos estamos oferecendo muito mais que uma máquina ou um mero objeto, estamos disponibilizando aos nossos clientes, seres que têm sentimentos, que precisam estar satisfeitos em seu local de trabalho para que possam dar o seu melhor em prol do sucesso de sua Empresa, e assim prestar um serviço de qualidade.

É muito difícil disponibilizar excelência em Serviços se o funcionário que eu envio para meu cliente está preocupado com as contas a serem pagas porque seu salário é insuficiente para atender as necessidades básicas de seu lar, seu salário não lhe permite ter acesso a todos os seus direitos constitucionais, ou se o mesmo não se alimenta devidamente, “come marmita”, pois seu ticket alimentação é utilizado para complementar à alimentação de sua família. Ou se o mesmo trabalha sobre alta pressão devido ao assédio moral em seu local de trabalho, pois seu patrão só pensa em produzir, produzir, produzir, vender, vender e vender.

No tempo da Escravidão os escravos tinham moradias “senzalas”, comida “faziam uma excelente, feijoada ou um delicioso angu à baiana com os restos que recebiam para sua alimentação”, recebiam roupas “farrapos”, e para que os mesmos pudessem esquecer seu sofrimento ainda podiam fazer festas e cultos religiosos. E hoje em dia será que é diferente? O trabalhador que ganha apenas um salário mínimo, consegue comprar roupas, alimentos, dar um lar decente, educação de qualidade, saúde e demais benefícios que todos sonhamos em dar à nossa família? Hoje o trabalhador escravo do século XXI não vai mais para o tronco ou pau de arara, mas sofre outro tipo de castigo, ver as necessidades de sua família e não conseguir suprir a todas, é um massacrado psicologicamente, dói no espírito e na alma.

Na década de oitenta ainda em minha infância, assisti pela televisão tanques de guerra e tropas invadindo a Companhia Siderúrgica Nacional para combater contra trabalhadores que tinham como único objetivo naquelas greves chamar a atenção da sociedade e de seu patrão “o Governo Federal”para o descaso para com eles, buscando melhores salários e condições de serviço. A mídia naquela época dava-nos a entender que as Tropas do Governo estavam lutando contra Grupos Baderneiros, quando na verdade estavam oprimindo Irmãos Trabalhadores Brasileiros. Aquela era uma época em que os trabalhadores se uniam rumo aos seus objetivos, hoje tenho sentido certo esmorecimento e conformismo da classe trabalhadora.

Hoje após tantas desilusões, com fracassadas negociações sindicais, descaso do Ministério do Trabalho que não combate contra atitudes de Empresas que descumprem a Consolidação de Leis trabalhistas quando recebem denúncias contra estas, as altas cargas tributárias pagas no Brasil que dificultam para que patrões paguem melhores salários aos seus funcionários, tantas denúncias de desvio de dinheiro e recursos públicos que a cada dia são vistas na mídia... Hoje vejo que o trabalhador tem se sentido acuado como os escravos do passado com medo de si rebelar, medo de sofrer punições como advertências e suspensões, ou até mesmo perder seu empreguinho de onde ele tira recursos para que sua família sobreviva.

Fala-se hoje em Qualidade Total e em Ferramentas da Qualidade como: PDCA, 5S, Diagrama de Análise de Pareto, Diagrama de Causa e Efeito, Controle Estatístico de Processo, Normas ISO 9000 e 14000, para oferecer Produtos e Serviços de qualidade, mas pouca é dada a importância ao bem estar de trabalhadores e suas famílias.

Posso afirmar que o mínimo que um trabalhador brasileiro deveria receber teria que suprir a todas as necessidades básicas de sua família, como: Moradia, alimentação, saúde, educação, roupas,... Dando assim um conforto digno aquele que gasta seu tempo e saúde em benefício das Empresas pertencentes aos grandes Barões do Século XXI.

“Só uma idéia para reflexão: Se você apresentar seu holerite de um salário mínimo em uma Agência da Caixa Econômica Federal, você conseguirá financiar uma casa? Nunca, pois o vergonhoso salário mínimo não o permite.”

Como pode um país que não valoriza aos professores, profissionais que têm como missão transformar meninos e meninas em cidadãos que movimentarão nosso país rumo a um próspero futuro?


  • ü Eu prefiro ter um salário que me proporcione pagar uma boa escola para meus filhos que ver o dinheiro público empregado em projetos educacionais que no final das contas fogem de seu maior objetivo e são utilizados como marketing político para reeleição de atuais governos. Sem falar os desvios de verbas para educação que quando não são mau empregadas são desviadas, como vemos constantemente na mídia.
  • ü Eu prefiro um salário que me proporcione pagar um bom atendimento médico hospitalar para minha família que vê-los serem tratados pior que animais na rede pública. Se animais não podem ser tratados da maneira que os doentes brasileiros são tratados como nossos governantes podem ser omissos aos ver o povo que o elegeu ser tratado desta maneira?
  • ü E gostaria que o salário mínimo fosse o suficiente para que o pobre pudesse entrar no já citado banco do governo federal e financiar uma moradia decente para sua família.
  • ü Eu prefiro que o povo brasileiro não receba o Bolsa Família, mas que este tenha um emprego digno e que supra o seu lar. Que nossos aposentados que durante tantos anos se dedicaram ao crescimento desta nação passem a ter uma aposentadoria digna e não a esmola dada pelo governo, que é insuficiente até mesmo para compra de remédios e seus tratamentos de saúde. “O Bolsa Família infelizmente é utilizado para segurar o voto dos mais carentes a favor do atual governo.”

Lembro que a sobre carga de impostos pagas no Brasil dificultam as exportações de produtos acabados, temos que vender menos matérias primas e mais produtos acabados só assim conseguiremos gerar empregos e proporcionar salários dignos ao trabalhador. Eu gostaria de saber o porquê que no Paraguai onde não se produz uma gota de gasolina se quer a gasolina é vendida a R$1,40 e aqui onde foi dito que somos auto-suficientes em petróleo pagamos aproximadamente R$3,00. No passado supostamente Joaquim José da Silva Xavier foi enforcado ao lutar contra os 20% de impostos pagos a Portugal, e hoje mínimos de taxas de impostos que pagamos chegam a 40%. “Quando digo supostamente é pelo fato de terem sidos encontrados documentos assinados por Tiradentes em Portugal após a data de sua morte.” (http://cafehistoria.ning.com/)

Diante dos fatos relatados chego a minha conclusão pessoal de que vivemos um período de escravidão maquiada por projetos eleitoreiros.

Somos escravos, somos fantoches nas mãos da Elite Brasileira, Européia e Norte Americana e até mesmo de países asiáticos como a China, que de nós importa matéria prima e nos vendem produtos acabados. E quando se esgotarem nossas fontes de matérias primas onde será que os escravos brasileiros irão trabalhar.

Não quero motivar aos trabalhadores brasileiros a saírem quebrando tudo como aconteceu na semana passada na Europa, mas sim a fazer uma reflexão dos fatos relatados acima.

Pense nisso.

Um forte abraço

Alex Vigilante

www.alexvigilanterj.blogspot.com

alexcampolindo76@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comunicado: Os mais de 300 demitidos da Prosegur Paraguai apresentam suas ...

O movimento sindical brasileiro perde uma mulher lutadora e guerreira; a família CSPB...

Quando o ex-presidente da CSPB, Raimundo Nonato Cruz, imprimiu novas estratégias na condução política e administrativa da Confederação, ainda no calor da Assembleia Nacional Constituinte, uma das suas decisões foi no sentido de incorporar novos quadros dirigentes.

Polícia apura conexão entre ataques a cofres eletrônicos:

A prisão em flagrante de um ladrão por volta das 23h30min de sábado, enquanto arrombava um caixa eletrônico em uma agência do Santander, na Avenida Assis Brasil, na Capital, reforçou ainda mais a certeza, entre policiais, da existência de uma conexão entre esse tipo de crimes em todo o país. É que, novamente, o criminoso surpreendido pela Brigada Militar é catarinense — como eram três dos quatro arrombadores presos em junho em Rio Pardo. E como catarinenses eram, também, os quatro ladrões presos em Vitória (ES), em março, com R$ 500 mil provenientes do arrombamento de uma agência bancária. O ladrão azarado da vez é Robson Muller, 28 anos, técnico em manutenção, de Joinville (SC). Pelo menos outro homem, que, segundo a polícia, vigiava a ação do bandido do lado de fora, conseguiu fugir em um automóvel, assim que a viatura da polícia chegou ao local, depois do acionamento do alarme da agência. Muller foi surpreendido enquanto operava uma furadeira. Ele ainda tinha outras ferramentas, como transformadores e alicates. Autuado por furto, o arrombador foi encaminhado ao Presídio Central. Na semana passada foram registrados outros dois casos relacionados a arrombamento de caixas eletrônicos do Santander no Estado. Na última quinta-feira, em Torres, Jeferson de Freitas, 29 anos, funcionário de uma fábrica de antenas parabólicas em Jaraguá do Sul (SC), foi encontrado por cinco PMs dentro de um táxi quando fugia pela BR-101, em direção a Santa Catarina.

No Rio de Janeiro Oportunidade Seg

Loading...